sexta-feira, 31 de maio de 2019

Saudação ao Dia Nacional das Coletividades

A Saudação ao Dia Nacional das Coletividades, emitida pela CPCCRD, evoca o dia que é dedicado ao movimento associativo e atualiza algumas das principais linhas de ação para o presente ano.

Lê e divulga!



quinta-feira, 23 de maio de 2019

31 de Maio. Dia Nacional das Coletividades e 95.º aniversário da CPCCRD

A Federação das Coletividades dos Distrito de Setúbal associa-se às comemorações do Dia Nacional das Colectividades, 31 de Maio, data que assinala o 95.º aniversário da Confederação Portuguesa da Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto.

Divulga e participa!


domingo, 31 de março de 2019

Congresso da CPCCRD. Debater o presente, preparar o futuro


O Congresso Nacional da CPCCRD constituiu um importante marco na organização do movimento associativo popular, promovendo o debate das mais importantes questões que condicionam a vida das associações e coletividades e elegendo os novos órgãos sociais da Confederação para o trénio 2019-2022. Este magno forum associativo realizou-se em 30 de Março de 2019 na Universidade Lusófona, Lisboa


Revisão de legislação associativa, pagamento de direitos de autor e medidas de autoproteção em edificios associativos

O primeiro painel do Congresso foi dedicado à revisão da legislação associativa, tendo sido moderado por Sérgio Pratas (CPCCRD) e contado com a participação da deputada Ana Mesquita (PCP) e Sobreda Antunes (PEV). Não se fizeram representar, apesar de convidados, os restantes partidos com grupo parlamentar.

Painel de debate sobre revisão da legislação associativa: Da esquerda para a
direita: Sérgio Pratas (CPCCRD), Ana Mesquita (deputada do PCP) e
Sobreda Antunes (PEV)
Foram recordadas as diligências realizadas pela CPCCCRD junto da Assembleia da República, no sentido de dar seguimento às diversas propostas legislativas que não obtiveram aprovação parlamentar até ao momento. Foram também escutadas com interesse as novas ações que os grupos parlamentares presentes se propõem promover, a par da estratégia de não desistência que a Confederação irá prosseguir.

O direito de autor, na perspetiva das associações, e as medidas de autoproteção em edificios associativos foram os temas do segundo painel, que contou com a participação de representantes da SPA, Sociedade Portuguesa de Autores - Maria Inês Moreira, Ministério da Cultura - Francisco Guerra, ANPC Autoridade Nacional da Proteção Civil - José Oliveira e, pela CPRCCRD - Rogério Almeida e Joaquim Escoval.

Painel de debate sobre direito de autor na perspetiva das associações e medidas de
autoproteção  em edificios associativos. Da esquerda para a direita: Rogério Almeida
(CPCCRD), Francisco Guerra  (Minstério da Cultura), Maria Inês Moreira (SPA),
José Oliveira (ANPC) e Joaquim Escoval (CPCCRD) 
Também neste painel se registou um vivo debate com numerosas intervenções por parte dos congressistas. Especial destaque para as questões centradas na cobrança de direitos de autor, com diversas intervenções a sublinharem os valores excessivos cobrados pela SPA e sua inadequação face ao espírito e aos objetivos sociais e sem fins lucrativos prosseguidos pelo movimento associativo.

Eleição dos órgãos sociais da Confederação

A eleição dos órgãos sociais da Confederação teve lugar durante a tarde, tendo sido apresentada a sufrágio uma lista. A lista apresentada cumpriu critérios nacionais de representatividade geográfica, considerando o peso relativo de inscrições de associações confederadas, participação de jovens e mulheres.

Acto eleitoral.
Também o programa de ação para o mandato 2019-2002 foi motivo de apresentação e debate. O documento organiza-se em torno de sete pontos estruturais: 1) Organização, estrutura e funcionamento; 2) Sustentabilidade financeira; 3) Estudos e Capacitação dos Dirigentes Associativos; 4) Processos reivindicativos; 5) Projetos Nacionais; 6) Relações com o Estado e outros parceiros institucionais e 7) Relações Internacionais.

A lista agora eleita reconduz nas presidencias dos órgãos sociais: na Mesa do Congresso, Francisco Barbosa da Costa (Associação Desportiva e Cultural de Santa Isabel, Vila Nova de Gaia, distrito do Porto); No Conselho Fiscal, Rosa Maria Martins Ferreira Batista (Grupo de Instrução e Sport, Figueira da Foz, distrito de Coimbra) e na Direção, Augusto Máximo Flor (Sociedade Filarmónica Incrível Almadense, Almada, distrito de Setúbal)

Tomada de posse dos membros dos órgãos sociais.
As coletividades do distrito de Setúbal mantém, de uma forma global, uma relevante participação nos órgãos sociais da Confederação, assegurando um representante na Mesa do Congresso, três na Direção e seis no Conselho Nacional. Os eleitos tomaram posse logo após a divulgação do resultado eleitoral.

O Congresso aprovou ainda uma proposta de atualização da quota mínima nacional (€ 60) e uma Saudação aos 45 anos do 25 de Abril de 1974.

Votação, por unanimidade, da moção relativa ao 45.º aniversário do 25 de Abril de 1974

Texto e imagens - CA/FCDS

quarta-feira, 6 de março de 2019

Assembleia Geral da Federação em 28 de Março de 2019

A Federação das Coletividades do Distrito de Setúbal vai realizar uma Assembleia Geral no dia 28 de Março de 2019, quinta-feira, pelas 20h30, na sua sede (convocatória abaixo).
 
A Assembleia é aberta a todas as coletividades e associações filiadas na CPCCRD, Confederação Portuguesa das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto, participa!

Participa! Contribui para o fortalecimento do movimento associativo popular!


sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Federação e CPCCRD agraciadas na Gala do Desporto

A Federação das Coletividades do Distrito de Setúbal foi agraciada com o prémio Personalidade do Ano na 23.ª Gala do Desporto, promovida pela Confederação do Desporto de Portugal.

Troféu Personalidade do Ano atribuído à Federação.
Delegações da FCDS e CPCCRD à 23.ª Gala do Desporto
com os troféus atribuídos.
À CPCCRD Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto foi atribuído o Prémio Mérito Desportivo de Alto Prestígio, o galardão de "mais elevado prestígio atribuído pela CDP, que assim procura distinguir entidades e personalidades do fenómeno desportivo, pelo extraordinário contributo em prol do desporto e de Portugal".

Entrega de prémio ao Presidente da CPCCRD, com a presença do
Ministro da Educação e Desporto, representante de Braga Cidade Europeia do Desporto
e Presidente da CDP
A Gala realizou-se no dia 30 de Janeiro no Casino do Estoril, tendo-se a Federação e a Confederação feito representar por membros das respetivas Direções.

Texto e imagens - CA/FCDS

Federação homenageia personalidades e organizações

A Federação das Coletividades do Distrito de Setúbal homenageou personalidades e organizações que ao longo dos anos se tem destacado na prática e apoio ao associativismo.

À Sociedade Filarmónica Incrível Almadense foi atribuído o galardão de Instrução e Arte; aos associativistas almadenses Henrique Santos e Carlos Rosado (póstumo) foi concedido o galardão de Reconhecimento e Mérito, que também foi atribuído à Câmara Municipal de Setúbal.


Sociedade Filarmónica Incrível Almadense (Medalha de Instrução e Arte)

Decidiu a Federação das Colectividades do Distrito de Setúbal atribuir a Medalha de Instrução e Arte à Sociedade Filarmónica Incrível Almadense pela sua contribuição no desenvolvimento do Movimento Associativo no Distrito de Setúbal e em especial no concelho de Almada.

A Sociedade Filarmónica Incrível Almadense foi fundada Em 1 de Outubro de 1848, no Pátio do Prior do Crato, em Almada, nascia a Sociedade Filarmónica Incrível Almadense - SFIA. Importante na intervenção social e política, permitiu a reunião, o convívio, a discussão de ideias e a construção de sonhos e ideais. Com ela nasceu a Banda Filarmónica e criou o primeiro Teatro e primeiro Cinema de Almada. Como outras colectividades centenárias, a Incrível tem várias ofertas culturais, recreativas e desportivas.

Em 1940 Agraciada com o Grau de Oficial da Ordem de Benemerência. Em 1954 foi-lhe atribuída a Medalha de Ouro de Instrução e Arte pela Federação Portuguesa das Colectividades de Cultura e Recreio. Em 1980 foi constituída Colectividade de Utilidade Pública. Em 1989 recebeu a Medalha de Ouro da Cidade de Almada. Desde 1993 é Membro Honorário da Ordem do Infante D. Henrique. Desde 1998 é Membro Honorário da Ordem da Liberdade.

Presidente da SFIA, Mara Martins, recebe galardão .
Entrega Carlos Pólvora (FCDS).
Câmara Municipal de Setúbal (Medalha de Reconhecimento e Mérito)

Decidiu a Federação das Colectividades do Distrito de Setúbal atribuir a Medalha de Reconhecimento e Mérito à Câmara Municipal de Setúbal pelo extraordinário contributo que tem dado à atividade desta Federação. Está esta Federação consciente que sem essa colaboração dificilmente poderíamos fazer o que fazemos.

A Câmara Municipal de Setúbal tem sido um parceiro de grande importância para esta Federação. Desde o primeiro momento, aquando da sua fundação 2003, pudemos contar com o apoio do município sadino que soube entender o alcance estratégico das parcerias entre o movimento associativo popular e o poder local.

Têm sido vários os momentos em que se tem corporizado parcerias entre ambas as entidades. Recordamos a realização da 9.ª Convenção Nacional dos Jogos Tradicionais e a primeira assembleia eleitoral dos órgãos socais da Federação Portuguesa dos Jogos Tradicionais, realizadas em Junho de 2016; o 5º Encontro Internacional TAFISA Jogos do Passado – Desportos para o Presente, em Março de 2015; ou ainda a participação desta Federação no Conselho Municipal do Desporto de Setúbal, a convite da CM de Setúbal, bem como as sucessivas participações na Feira de Sant’Iago, um dos mais importantes certames da região, também a convite do município sadino.

Releva-se também aqui a atenção que o Município sadino tem dedicado ao movimento associativo do concelho. De que são exemplos a realização anual de um fórum de debate entre as coletividades, associações e poder local - o Encontro do Movimento Associativo de Setúbal e o estabelecimento de mecanismos de candidatura a apoios – prática que, aliás, se tem vindo a estender a muitas outras autarquias locais.


Presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira,
recebe galardão. Entrega Diamantino Estanislau (FCDS)

Henrique da Silva Santos (Medalha de Reconhecimento e Mérito)

Decidiu a Federação das Colectividades do Distrito de Setúbal atribuir a Medalha de Reconhecimento e Mérito a Henrique da Silva Santos, pela sua intervenção no processo evolutivo da Federação das Colectividades do Distrito de Setúbal.

Nasceu no ano de 1947 em Lisboa, homem de muitas funções, foi atleta de 1962 a 1980, praticando as suas duas modalidades de coração, o futebol e o atletismo, na cultura o teatro chamou-lhe a atenção. Entre 1975 a 2014 foi actor amador, tendo ainda uma experiência como encenador, referência para no período compreendido entre 1983 e 2014 ter sido actor amador no Grupo Cénico da Incrível Almadense. Além de todas estas actividades ainda foi dirigente associativo e por serem muitas as referências, vamos só referenciar que teve atividade desde o ano 1962 até à presente data, ou seja, 57 anos de dirigente associativo. 

Henrique Santos, foi um dos fundadores da Federação das Colectividades do Distrito de Setúbal em 2003 e desde então tem integrado os Órgãos Sociais desta Federação, desempenhando hoje a função de Secretário da Assembleia Geral.


Henrique Santos recebe galardão. Entrega Carlos Branco (FCDS).

Carlos Alberto da Conceição Rosado (Medalha de Reconhecimento e Mérito, póstumo)

Decidiu a Federação das Colectividades do Distrito de Setúbal atribuir a Medalha de Reconhecimento e Mérito a Carlos Alberto da Conceição Rosado, pela sua intervenção no processo evolutivo e transformador na restruturação do Movimento Associativo Nacional, principalmente na sua Almada e nosso Distrito de Setúbal. Quando esta distinção foi deliberada Carlos Rosado ainda se encontrava entre nós.

Almadense de gema nasceu nesta cidade no ano de 1937 e começou a sua actividade associativa aos 11 anos de idade, acabando a mesma aos 81 anos de idade.

Seria exaustiva a descrição das suas funções como dirigente associativo, por isso salientamos a sua dedicação à sua Sociedade Filarmónica Incrível Almadense em que, desde o ano de 1968, teve presença quase constante nos seus órgãos sociais, tendo terminado como Presidente da Assembleia Geral, eleito no ano 2018.

Foi ainda autarca na Assembleia de Freguesia de Almada e do executivo da Junta de Freguesia de Almada.

Em 1993 foi eleito Sócio de Mérito da Sociedade Filarmónica Incrível Almadense. Em 2006 recebeu a medalha de Ouro de Mérito e Dedicação pela Câmara Municipal de Almada.


Família de Carlos Rosado recebe galardão. Entrega Carlos Anjos (FCDS).
Carlos Alberto Rosado.