sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Federação e CPCCRD agraciadas na Gala do Desporto

A Federação das Coletividades do Distrito de Setúbal foi agraciada com o prémio Personalidade do Ano na 23.ª Gala do Desporto, promovida pela Confederação do Desporto de Portugal.

Troféu Personalidade do Ano atribuído à Federação.
Delegações da FCDS e CPCCRD à 23.ª Gala do Desporto
com os troféus atribuídos.
À CPCCRD Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto foi atribuído o Prémio Mérito Desportivo de Alto Prestígio, o galardão de "mais elevado prestígio atribuído pela CDP, que assim procura distinguir entidades e personalidades do fenómeno desportivo, pelo extraordinário contributo em prol do desporto e de Portugal".

Entrega de prémio ao Presidente da CPCCRD, com a presença do
Ministro da Educação e Desporto, representante de Braga Cidade Europeia do Desporto
e Presidente da CDP
A Gala realizou-se no dia 30 de Janeiro no Casino do Estoril, tendo-se a Federação e a Confederação feito representar por membros das respetivas Direções.

Texto e imagens - CA/FCDS

Federação homenageia personalidades e organizações

A Federação das Coletividades do Distrito de Setúbal homenageou personalidades e organizações que ao longo dos anos se tem destacado na prática e apoio ao associativismo.

À Sociedade Filarmónica Incrível Almadense foi atribuído o galardão de Instrução e Arte; aos associativistas almadenses Henrique Santos e Carlos Rosado (póstumo) foi concedido o galardão de Reconhecimento e Mérito, que também foi atribuído à Câmara Municipal de Setúbal.


Sociedade Filarmónica Incrível Almadense (Medalha de Instrução e Arte)

Decidiu a Federação das Colectividades do Distrito de Setúbal atribuir a Medalha de Instrução e Arte à Sociedade Filarmónica Incrível Almadense pela sua contribuição no desenvolvimento do Movimento Associativo no Distrito de Setúbal e em especial no concelho de Almada.

A Sociedade Filarmónica Incrível Almadense foi fundada Em 1 de Outubro de 1848, no Pátio do Prior do Crato, em Almada, nascia a Sociedade Filarmónica Incrível Almadense - SFIA. Importante na intervenção social e política, permitiu a reunião, o convívio, a discussão de ideias e a construção de sonhos e ideais. Com ela nasceu a Banda Filarmónica e criou o primeiro Teatro e primeiro Cinema de Almada. Como outras colectividades centenárias, a Incrível tem várias ofertas culturais, recreativas e desportivas.

Em 1940 Agraciada com o Grau de Oficial da Ordem de Benemerência. Em 1954 foi-lhe atribuída a Medalha de Ouro de Instrução e Arte pela Federação Portuguesa das Colectividades de Cultura e Recreio. Em 1980 foi constituída Colectividade de Utilidade Pública. Em 1989 recebeu a Medalha de Ouro da Cidade de Almada. Desde 1993 é Membro Honorário da Ordem do Infante D. Henrique. Desde 1998 é Membro Honorário da Ordem da Liberdade.

Presidente da SFIA, Mara Martins, recebe galardão .
Entrega Carlos Pólvora (FCDS).
Câmara Municipal de Setúbal (Medalha de Reconhecimento e Mérito)

Decidiu a Federação das Colectividades do Distrito de Setúbal atribuir a Medalha de Reconhecimento e Mérito à Câmara Municipal de Setúbal pelo extraordinário contributo que tem dado à atividade desta Federação. Está esta Federação consciente que sem essa colaboração dificilmente poderíamos fazer o que fazemos.

A Câmara Municipal de Setúbal tem sido um parceiro de grande importância para esta Federação. Desde o primeiro momento, aquando da sua fundação 2003, pudemos contar com o apoio do município sadino que soube entender o alcance estratégico das parcerias entre o movimento associativo popular e o poder local.

Têm sido vários os momentos em que se tem corporizado parcerias entre ambas as entidades. Recordamos a realização da 9.ª Convenção Nacional dos Jogos Tradicionais e a primeira assembleia eleitoral dos órgãos socais da Federação Portuguesa dos Jogos Tradicionais, realizadas em Junho de 2016; o 5º Encontro Internacional TAFISA Jogos do Passado – Desportos para o Presente, em Março de 2015; ou ainda a participação desta Federação no Conselho Municipal do Desporto de Setúbal, a convite da CM de Setúbal, bem como as sucessivas participações na Feira de Sant’Iago, um dos mais importantes certames da região, também a convite do município sadino.

Releva-se também aqui a atenção que o Município sadino tem dedicado ao movimento associativo do concelho. De que são exemplos a realização anual de um fórum de debate entre as coletividades, associações e poder local - o Encontro do Movimento Associativo de Setúbal e o estabelecimento de mecanismos de candidatura a apoios – prática que, aliás, se tem vindo a estender a muitas outras autarquias locais.


Presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira,
recebe galardão. Entrega Diamantino Estanislau (FCDS)

Henrique da Silva Santos (Medalha de Reconhecimento e Mérito)

Decidiu a Federação das Colectividades do Distrito de Setúbal atribuir a Medalha de Reconhecimento e Mérito a Henrique da Silva Santos, pela sua intervenção no processo evolutivo da Federação das Colectividades do Distrito de Setúbal.

Nasceu no ano de 1947 em Lisboa, homem de muitas funções, foi atleta de 1962 a 1980, praticando as suas duas modalidades de coração, o futebol e o atletismo, na cultura o teatro chamou-lhe a atenção. Entre 1975 a 2014 foi actor amador, tendo ainda uma experiência como encenador, referência para no período compreendido entre 1983 e 2014 ter sido actor amador no Grupo Cénico da Incrível Almadense. Além de todas estas actividades ainda foi dirigente associativo e por serem muitas as referências, vamos só referenciar que teve atividade desde o ano 1962 até à presente data, ou seja, 57 anos de dirigente associativo. 

Henrique Santos, foi um dos fundadores da Federação das Colectividades do Distrito de Setúbal em 2003 e desde então tem integrado os Órgãos Sociais desta Federação, desempenhando hoje a função de Secretário da Assembleia Geral.


Henrique Santos recebe galardão. Entrega Carlos Branco (FCDS).

Carlos Alberto da Conceição Rosado (Medalha de Reconhecimento e Mérito, póstumo)

Decidiu a Federação das Colectividades do Distrito de Setúbal atribuir a Medalha de Reconhecimento e Mérito a Carlos Alberto da Conceição Rosado, pela sua intervenção no processo evolutivo e transformador na restruturação do Movimento Associativo Nacional, principalmente na sua Almada e nosso Distrito de Setúbal. Quando esta distinção foi deliberada Carlos Rosado ainda se encontrava entre nós.

Almadense de gema nasceu nesta cidade no ano de 1937 e começou a sua actividade associativa aos 11 anos de idade, acabando a mesma aos 81 anos de idade.

Seria exaustiva a descrição das suas funções como dirigente associativo, por isso salientamos a sua dedicação à sua Sociedade Filarmónica Incrível Almadense em que, desde o ano de 1968, teve presença quase constante nos seus órgãos sociais, tendo terminado como Presidente da Assembleia Geral, eleito no ano 2018.

Foi ainda autarca na Assembleia de Freguesia de Almada e do executivo da Junta de Freguesia de Almada.

Em 1993 foi eleito Sócio de Mérito da Sociedade Filarmónica Incrível Almadense. Em 2006 recebeu a medalha de Ouro de Mérito e Dedicação pela Câmara Municipal de Almada.


Família de Carlos Rosado recebe galardão. Entrega Carlos Anjos (FCDS).
Carlos Alberto Rosado.

domingo, 27 de janeiro de 2019

Festa, debate, arte e galardões assinalam 16 anos de Federação

A Federação assinalou o 16.º aniversário da sua fundação no dia 26 de Janeiro na Sociedade Filarmónica Incrível Almadense com um programa que incluiu uma sessão solene, a atribuição de galardões associativos, um colóquio, música, teatro e uma exposição.

Sessão Solene

A mesa que dirigiu a sessão foi constituída pelos Presidentes da Assembleia Geral e da Direção da Federação, respetivamente, João Narciso e Diamantino Estanislau, a Presidente da Sociedade anfitriã, Mara Martins, o Presidente da Confederação Portuguesa das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto, Augusto Flor, o Presidente da União de Freguesias de Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas, Ricardo Louça, um representante da Câmara Municipal de Almada, Mário Costa e o Presidente da Associação de Coletividades do Concelho de Almada, Jorge Costa.

O Presidente da Direção da FCDS apresentou um balanço do trabalho realizado pela Federação no último ano, expondo as principais linhas de ação

Todos os integrantes da mesa usaram da palavra para evocar a data, congratular a Federação e trocar lembranças. Foi ainda aberto um período de intervenções do público, a que ocorreram representantes da União de Freguesias do Laranjeiro e Feijó, Clube de Campismo do Concelho de Almada, Universidade Popular de Almada, Federação Portuguesa dos Jogos Tradicionais, União de Freguesias da Trafaria e Caparica e Associação de Colectividades do Concelho do Seixal. Foram ainda recebidas mensagens de coletividades que não puderam estar presentes mas assinalaram o aniversário.

A convite da mesa usou ainda da palavra a Presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, que evocou a importância do movimento associativo no desenvolvimento da comunidade, bem como memórias de Almada.

A sessão solene foi encerrada com uma intervenção do Presidente da CPCCRD, Augusto Flor, que historiou o processo de formação da Federação, recordando momentos, locais e entidades associados ao nascimento da FCDS em 2003. Procedeu ainda a um rápido balanço da situação organizacional do movimento associativo no distrito.

Galardões associativos

Seguiu-se o ato de atribuição de galardões associativos, atribuídos pela primeira vez. Foram momentos repletos de emoção.

Os galardões atribuídos foram os seguintes, tendo a respetiva fundamentação sido lida durante a sessão:
À Sociedade Filarmónica Incrível Almadense – Instrução e Arte;
A Henrique da Silva Santos (associativista de Almada) – Reconhecimento e Mérito;
A Carlos Alberto da Conceição Rosado (associativista de Almada, a título póstumo) – Reconhecimento e Mérito;
À Câmara Municipal de Setúbal – Reconhecimento e Mérito.

Receberam as distinções: em nome da S.F. Incrivel Almadense a respetiva Presidente, Mara Martins; Henrique Santos em nome próprio; em representação de Carlos Alberto Rosado, sua esposa acompanhada pela familia. Maria das Dores Meira, presidente do município sadino recebeu o galardão que distingiu a Câmara Municipal de Setúbal (reportagem desenvolvida aqui).

Colóquio sobre capacitação de dirigentes associativos

O programa das comemorações incluiu um colóquio sobre a temática da capacitação e formação de dirigentes associativos. Anabela Lança, coordenadora deste projeto no âmbito da CPCCRD, apresentou as suas principais linhas, bem como as iniciativas já em curso, nomeadamente os gabinetes de apoio regional e a formação protocolada aberta a dirigentes associativos.

Resultou deste colóquio a importancia de que a capacitação dos dirigentes se reveste em face do contexto de crescente exigência e complexidade com que as coletividades são confrontadas no seu dia-a-dia.

Arte, cultura e jogos tradicionais

Numa demonstração da pujança cultural da Sociedade anfitriã, o programa da comemoração contou com dois momentos artísticos que simbolizam o contributo da música e do teatro no contexto das artes.

A abrir a tarde um concerto pela Banda Filarmónica Incrivel Almadense, dirigida pelo maestro Jorge Camacho, com um programa que deleitou os presentes. O encerramento da sessão foi assegurado com a representação da peça de teatro “Um Minuto Antes de Dizer Adeus”, pelo Cénico da SFIA, num texto de Paulo Sacaldassy, encenação de Eugénia Viana e representação das actrizes Paula Filipe e Anita Santos.

Esteve ainda patente uma exposição de jogos tradicionais portugueses, numa demonstração do trabalho realizado quer pela Federação, quer por outras estruturas descentralizadas da CPCCRD, nomeadamente a Associação de Colectividades do Concelho de Almada, que disponibilizou os jogos expostos.

Os participantes nesta agradável tarde de arte e cultura, debate e evocação tiveram ainda ocasião de soprar o bolo de aniversário e de confraterizarem entre si, dando assim corpo àquele que é um dos mais importantes objetivos do trabalho da Federação – o conhecimento mútuo entre dirigentes associativos e a troca de informações, impressões e experiências.

A Federação agradece os contributos fundamentais da CPCCRD, Sociedade Filarmónica Incrível Almadense, Associação de Coletividades do Concelho de Almada e União de Freguesias de Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas

Texto: CA/FCDS
Imagens: CA e HS/FCDS | CPCCRD

Veja as imagens da sessão:


Abertura do programa com a Banda Flarmónica da Incrível Almadense.

Colóquio sobre capacitação de dirigentes associativos.
Apresentação de Anabela Lança.
Mesa que dirigiu a sessão solene.
Aspeto geral.
Intervenção do Presidente da Federaçao, Diamantino Estanislau.
Troca de lembranças com a Presidente da SF Incrível Almadense, Mara Martins.

Presidente da Associação de Colectividades do Concelho de Almada, Jorge
Costa e Presidente da FCDS

Presidente da UF de Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas, Ricardo Louçã
e Presidente da FCDS 

Representante da Câmara Municipal de Almada e Presidente da FCDS 

UF do Laranjeiro e Feijó

Clube de Campismo do Concelho de Almada
Universidade Popular de Almada 

Presidente da Federação Portuguesa de Jogos Tradicionais, João Alexandre.

União de Freguesias da Trafaria e Caparica

Associação de Colectividades do Concelho do Seixal.

Presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria dos Dores Meira e
Presidente da FCDS.

Presidente da CPCCRD, Augusto Flor.

Presidente da SF Incrível Almadense, Mara Martins, recebe galardão Instrução
e Arte. Entrega Carlos Pólvora (FCDS).

Henrique Santos recebe galardão Reconhecimento e Mérito.
Entrega Carlos Branco (FCDS)

Entrega do galardão Reconhecimento e Mérito à família de Carlos Rosado.
Entrega Carlos Anjos (FCDS)

Presidente da Câmara Municipal de Setúbal recebe galardão Reconhecimento
e Mérito. Entrega Diamantino Estanislau (FCDS)
Exposição de jogos tradicionais portugueses.
Teatro "Um Minuto Antes de Dizer Adeus"
pelo Cénico da Incrível Almadense. 
Confraternização final.

Texto: CA/FCDS
Imagens: CA/FCDS | HS/FCDS  | CPCCRD

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Federação comemora 16 anos em Almada

A Federação das Colectividades do Distrito de Setúbal vai assinalar o seu 16.º aniversário com um programa de atividades no dia 26 de Janeiro de 2019 que terá lugar na histórica e centenária Sociedade Filarmónica Incrível Almadense.



A comemoração decorre em Almada, um dos concelhos mais populosos do distrito de Setúbal e também um dos que regista das mais significativas tradições associativas. 

O programa visa constituir-se como um momento de confraternização, troca de opiniões e conhecimento mútuo entre dirigentes associativos. A iniciativa tem inicio pelas 15h00 com um concerto pela Banda da SFIA Sociedade Filarmónica Incrível Almadense, seguindo-se, às 15h30, um colóquio sobre o tema "Capacitação de Dirigentes Associativos", com intervenção inicial da Dr.ª Anabela Lança (CPCCRD), seguida de debate. A sessão solene comemorativa terá lugar pelas 16h30, seguindo-se, às 17h15, a apresentação da peça de teatro "Um Minuto Antes de Dizer Adeus" pelo grupo cénico da SFIA. Uma confraternização entre todos os participantes encerrará esta jornada trabalhos.

A colectividade anfitriã, popularmente conhecida por Incrível, foi fundada em 1848 e continua a ser uma das mais expressivas associações do concelho. No seu port folio de atividades incluem-se atividades tão diversas como a escola de música, um grupo de cavaquinhos, circo aéreo, banda filarmónica, coro polifónico e grupo cénico.

A iniciativa é aberta a todas as colectividades, dirigentes e activistas associativos, bem como a todo o público interessado. 

Este programa conta com o apoio da CPCCRD, Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto, Sociedade Filarmónica Incrível Almadense, Associação de Colectividades do Concelho de Almada e União de Freguesias de Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas

PARTICIPA E TRAZ UM AMIGO TAMBÉM!


segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Voto de pesar pelo falecimento de Carlos Rosado

A Direção de Federação aprovou um voto de pesar pelo falecimento de Carlos Alberto Rosado, histórico dirigente associativo almadense, presidente das Assembleias Gerais da Associação de Coletividades do Concelho de Almada e da Sociedade Filarmónica Incrivel Almadense.

Com a partida de Carlos Rosado o movimento associativo popular fica mais pobre.  Aos dirigentes de ambas as entidades associativas, aos seus companheiros, amigos e familiares a Federação remete os seus mais vivos sentimentos.


segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Federação participou no Conselho Nacional da CPCCRD

A Federação participou nos trabalhos do Conselho Nacional da CPCCRD que decorreu em 8 de Dezembro na Marinha Grande. Em debate temas tão importantes como a capacitação dos dirigentes associativos, o processo eleitoral para escolha dos órgãos sociais da Confederação, o Plano de Actividades e Orçamento para 2019, ou ainda o pontapé de saída para o debate sobre o futuro do movimento associativo popular.

Sessão de abertura do Conselho Nacional
Os trabalhos da parte da manhã foram dedicados à apreciação de informações sobre o andamento e ponto da situação das operações de capacitação de dirigentes associativos, que têm vindo a decorrer no âmbito do programa POISE. Estiveram em análise as situações dos Gabinetes Norte, Central e Sul, bem como a avaliação das execuções física e financeira desta Operação.

Que futuro para o movimento associativo popular?

Destaque ainda para a reflexão subordinado ao tema “O Movimento Associativo que queremos no futuro”, da autoria do histórico dirigente Artur Martins. Seguiu-se um interessante e participado debate entre os presentes, antevendo-se desde já a continuação da discussão deste importante tema nos diversos fora da Confederação.


Paços do Concelho da Marinha Grande
Os trabalhos do Conselho Nacional prosseguiram na parte da tarde com informações associativas, a abordagem do processo eleitoral para os órgãos da Confederação e a apreciação e votação do Plano de Atividades e Orçamento da CPCCRD para 2019.

Processo eleitoral

O processo eleitoral para os órgãos sociais da Confederação culminará com o Congresso Eleitoral a realizar em 30 de Março do próximo ano. O Conselho Nacional debateu o respetivo calendário, bem como a metodologia e critérios a adotar com vista à elaboração de uma lista nacional representativa a submeter a sufrágio, bem como do respetivo programa de ação.

Também a mobilização e preparação de formas de deslocação a Lisboa para exercício do direiro de voto merecerem a preocupação do Conselho.

Plano de Atividades e Orçamento

O Plano de Atividades e Orçamento para 2019 foi apresentado detalhadamente pela Direção, distribuindo-se por nove capítulos: a) Organização e estruturação associativa; b) Dia Nacional das Colectividades; c) Formação protocolada; d) Sustentabilidade; e) Sede Nacional e Gabinetes; f) Projetos Nacionais; g) Relações institucionais / Estado; h) Relações institucionais / parceiros sociais; i) Relações internacionais.

Aspecto dos trabalhos
A Federação interveio para transmitir algumas sugestões no âmbito deste debate: 1) a realização de um inquérito junto das coletividades confederadas, no sentido de se saber da respetiva opinião quanto ao futuro do movimento associativo popular; 2) a disponibilização de documentos relativos às posições oficiais da CPCCRD sobre as diversas matérias; 3) a necessidade de assegurar recursos humanos especializados à Confederação para apoio à fundamentação do seu trabalho no âmbito da atividade dos diversos Conselhos institucionais do Estado em que a CPCCRD participa (Conselho Económico e Social, Desporto, Cultura, etc); 4) Incentivar a proposta realização de contactos entre a Direção e as Federações Distritais, conforme consta no PA, e 4) o trabalho das estruturas descentralizadas no âmbito dos jogos tradicionais e respetiva Federação, a FPJT.

Submetido à votação dos conselheiros foi o documento aprovado por unanimidade e aclamação.

Marinha Grande, “Mãos Vidreiras”

O Conselho Nacional decorreu no magnífico Teatro Stephens, Marinha Grande, tendo os participantes almoçado na CoopPovo. Uma palavra ainda para registar os momentos de poesia e música com o histórico poema marinhense “Mãos Vidreiras”, da autoria de  Francisco Correia Moita, que, respetivamente, abriu e encerrou os trabalhos do Conselho Nacional, numa iniciativa proporcionada pela Associação Concelhia de Associações da Marinha Grande.

Marinha Grande, terra do vidro

Os trabalhos encerraram com a tradicional audição dos Hinos da Confederação e Nacional.

Texto e imagens – CA/FCDS